Breaking News :

nothing found
February 27, 2020

O que é mineração de Bitcoin?

Mesmo que você não esteja familiarizado com os termos sobre Bitcoins, certamente já ouviu falar em mineração de Bitcoin.

Já deve ter ouvido ou lido em algum lugar que essa moeda virtual é gerada a partir de computadores muito poderosos, utilizados para resolver equações matemáticas muito complicadas e para quebrar códigos muito difíceis.

Outra coisa que você já pode ter ouvido é que essa grande rede de computadores mantém um “blockchain”. Mas afinal, do que se trata um blockchain?

No mundo virtual do Bitcoin, um blockchain funciona como uma espécie de registro virtual para as moedas. Isso significa que todos as transações realizadas, tanto de compra como de venda, são registradas em um grande documento central. Esse documento é o blockchain.

Manter um histórico de transações de Bitcoins é extremamente importante, uma vez que é graças ao blockchain que é possível saber a quantidade de Bitcoins que uma pessoa detém em sua conta. Porém, como não existe uma competência sede responsável pela edição ou criação de um blockchain, basicamente qualquer pessoa poderia escrever ou alterar um dado.

E isso faz levantar uma questão interessante. Se qualquer pessoa pode escrever tais dados, como pode haver um registro tão confiável? Não existe uma resposta correta para isso.

Uma alternativa seria criar uma espécie de votação para que todos os usuários de Bitcoins escolhessem a versão mais “correta” de um blockchain, assegurando dessa maneira que pessoas maliciosas não possam tirar vantagem causando qualquer tipo de distúrbio.

Há um porém. Você já deve ter percebido que anteriormente dissemos que não existe uma competência sede central responsável pela regulamentação do Bitcoin. E esse é exatamente o objetivo da moeda virtual, excluir qualquer tipo de autoridade responsável por isso. O problema é que seria necessária uma autoridade ou competência para avaliar quais votos são “corretos” e “errados”. Sendo assim, o sistema de votação não é mais válido. E por esse motivo foi criada a mineração de Bitcoin.

Do que se trata a mineração de Bitcoin?

Resumindo, toda vez que uma pessoa adicionar no grande registro uma nova transação de Bitcoin, novos Bitcoins podem ser gerados. Adicionar um registro significa criar uma página em um blockchain. Mas, para fazer isso, não basta utilizar qualquer computador. É preciso um maquinário mais potente.

Existe uma maneira matemática de provar os dados que você inseriu em um blockchain. Porém, isso demanda tempo e dinheiro, e há ainda a possibilidade de um blockchain conflitar com outro nos dados. Se isso acontecer, o sistema considera aquele que possui um sistema mais poderoso vencedor. Ou seja, o computador que possui mais potência ganha.

Vamos colocar de outra maneira mais fácil para você entender. Criar uma página no blockchain custa dinheiro. Se você criar uma página que todos concordem, você receberá pelo seu trabalho, funciona basicamente como uma recompensa pelo seu esforço.

Em contrapartida, se não aceitarem a sua versão no blockchain, você simplesmente perdeu tempo e dinheiro tentando escrever algo que não foi aceito. Por esse motivo, pessoas que escrevem nesses registros tentam com frequência aceitar os outros registros escritos. Desse modo, ninguém sai perdendo dinheiro. Basicamente isso é a mineração de Bitcoins.

Isso pode até parecer estranho, mas realmente funciona e faz sentido para quem busca ganhar dinheiro através da mineração de Bitcoin. Pense dessa maneira: os mineradores de Bitcoins precisam investir dinheiro real na mineração. Caso ela seja efetiva e boa para a rede como um todo, eles recebem um pagamento de volta, mas dessa vez em Bitcoins.

Como os mineradores são pagos com Bitcoins recém “produzidas”, outros detentores de Bitcoins necessariamente precisam ter um custo em forma de inflação. Desse modo, fica assegurado também que o grande livro de registros permaneça correto de forma rigorosa.

Esse modelo assegura duas coisas: o fato de não ser necessária uma competência acima das pessoas para controlar os Bitcoins e ao mesmo tempo assegura que os Bitcoins que devam ser criados sejam destinados para quem os mereceu, e não para quem inventou a moeda virtual.

Ainda fica uma questão no ar: como de fato os Bitcoins são criados? Lembre-se novamente de que os Bitcoins não são criados em qualquer quantidade e a qualquer momento pelo inventor dos Bitcoins. Além de isso não ser justo, certamente causaria uma inflação.

Não, os Bitcoins são criados a partir de transações feitas nos blockchains. Mas para evitar uma espécie de inflação dos Bitcoins, o número máximo de moedas que podem ser criadas é definido previamente. Esse número não ultrapassa as 50 Bitcoins. Isso significa que cada bloco criado em um blockchain pode conter no máximo 50 moedas virtuais.

A criação de um bloco de transação dura aproximadamente 10 minutos. De forma justa, os mineradores calculam um tempo preciso para que os blocos sejam sempre criados nesse intervalo de tempo.

O número de moedas que podem ser criadas vai diminuindo com o passar do tempo. Na verdade, com a criação de novos blockchains. A cada 210.000 novos blocos, o número se reduz pela metade. O objetivo por trás disso é determinar um número exato de Bitcoins que podem circular no mercado, que são 21 milhões. Se esse número não for controlado, o Bitcoin pode simplesmente perder seu valor por causa de uma grande inflação que seria gerada.

Você pode estar pensando agora que talvez essa metodologia não seja muito justa e que todos os mineradores detêm todo o poder sobre os Bitcoins. Mas a verdade não é bem essa.

A verdade é que cada vez que você utiliza uma carteira Bitcoin, recebe o poder de verificar o blockchain e conferir tudo que é preciso ser conferido, como histórico de transações, a criptografia utilizada e até mesmo a criação de novos Bitcoins.

Caso você encontre qualquer irregularidade em um blockchain, você pode simplesmente descartá-lo e obter um blockchain honesto e correto. E isso seria péssimo para mineradores, já que eles gastaram bastante tempo e dinheiro escrevendo um blockchain. Por isso não vale a pena tentar trapacear. É muito fácil ter todo o trabalho jogado fora quando algo irregular for encontrado.

É por isso que todos os mineradores seguem um protocolo pré determinado que dita as regras. O protocolo funciona a partir do momento em que as pessoas decidem que ele é correto.

Eu deveria minerar Bitcoins?

Vamos direto ao ponto: provavelmente não seja a atividade mais rentável que você deva exercer. Esqueça o dinheiro de graça ou qualquer garantia de que você irá ter algum lucro com isso. Vamos ver os motivos abaixo.

Um minerador pode ser tanto uma pessoa responsável pela mineração quanto o próprio computador utilizado para resolver algumas equações. Então, o termo minerador vai depender do contexto da frase.

Então, o que fazem os mineradores? Bem, o trabalho deles é “minerar” todas as transações de Bitcoins que ainda não foram catalogadas em um blockchain. Eles então coletam essas informações e criam novas páginas em um blockchain, como dissemos.

Os mineradores (pessoas) precisam de computadores potentes para realizar equações. Essas equações demandam tempo e dinheiro. O tempo que elas utilizam é de aproximadamente 10 minutos, mas isso pode variar de acordo com a potência da máquina utilizada.

Então os mineradores ficam esperando até que os cálculos sejam feitos. Quando um deles funciona, eles recebem na hora o pagamento em forma de novas Bitcoins. Quando uma nova página é adicionada ao bloco, os mineradores recomeçam o trabalho de calcular novas transações realizadas. Quanto mais potente um computador for, maiores são as chances de aquela pessoa conseguir um resultado positivo antes.

Vale a pena ressaltar que o número de Bitcoins que você pode ganhar por cálculo feito é pré-determinado. Por isso não vale a pena colocar muitas máquinas para operarem em um mesmo cálculo.

Resumindo, para você se tornar um minerador é preciso investir em um maquinário poderoso. Ainda assim, não há garantias de lucro. Lembre-se de que se alguém está ganhando é porque alguém está perdendo. Para se tornar um minerador, você precisará investir um bom dinheiro em máquinas e em conhecimento. Afinal, este mercado está cada vez mais competitivo e você precisará ser melhor do que a média para ganhar algum dinheiro.

Algum tempo atrás, quando o Bitcoin ainda não havia se popularizado, era muito fácil minerar Bitcoins. Tanto é que os mineradores ainda usavam CPU’s ou até mesmo notebooks para fazer a mineração. Em média um novo bloco era encontrado a cada 10 minutos, o que gerava bons frutos para os mineradores.

Como isso começou a chamar a atenção das pessoas, novos mineradores começaram a surgir. E como a taxa de câmbio subiu, começou a aumentar também a dificuldade em minerar a moeda. Apesar de o tempo de 10 minutos ter se mantido, ficou muito mais difícil minerar as moedas já que a concorrência aumento consideravelmente nos últimos anos.

Com a concorrência cada vez maior, ficou cada vez mais difícil para mineradores encontrarem os blocos. Em contrapartida, os blocos acabaram valendo muito mais. A dinâmica de trabalho mudou completamente. Antes, mineradores recebiam uma quantia pequena, mas diária. Agora, mineradores podem demorar para receber, mas quando recebem o valor compensa toda a espera e dinheiro investido.

Por isso, grupos de mineradores criaram as chamadas “pools de mineração”, ou “piscinas de mineração”. As piscinas de mineração consistem em blocos que são divididos entre os mineradores que pertencem àquele grupo. A ideia é diminuir a aleatoriedade e baixa frequência de ganhos.

Mineradores se juntam e procuram por blocos. Quando eles são encontrados, todo o dinheiro é dividido entre os mineradores. Isso faz com que os ganhos sejam menores, mas constantes.

Com o tempo, os mineradores perceberam que utilizar computadores domésticos não era rentável, e então começaram a investir em máquinas mais eficientes. E foi assim que surgiram marcas específicas para minerar Bitcoins, como a ASIC. Hoje em dia, os computadores da ASIC são usados especialmente para minerar Bitcoins e são os mais eficientes para esse propósito.

Uma alternativa para quem não tem tempo e dinheiro para investir no maquinário necessário é contratar o serviço de empresas que alegam ter poder suficiente para minerar Bitcoins. Mas há um grande problema: como confiar nessas empresas? Como saber se você realmente está recebendo pelo que pagou? Caso você ainda não entenda muito sobre o assunto, não recomendamos que você contrate esse tipo de serviço.

A mineração de Bitcoin é uma atividade justa e garante que qualquer pessoa possa fazer parte do processo e receber uma parte justa pelo trabalho. Mas algumas pessoas acreditam que isso traz desvantagens, como um enorme desperdício de energia elétrica no planeta.

Os Bitcoins não fazem milagres. Eles não excluem os gastos que um sistema financeiro obrigatoriamente precisa ter. No entanto, eles são menores e são diferentes, principalmente por não exigirem estruturas físicas e nem uma competência central que fiscalize a emissão de moedas e cuide de toda a parte burocrática.

Os Bitcoins têm um custo, e parte dele é destinado a outros setores que substituem a necessidade de haver uma autoridade cuidando de todos os processos que envolvem um sistema financeiro.

Se você gostou do artigo sobre mineração de Bitcoins, deixe seu comentário abaixo e compartilhe essas informações em suas redes sociais. Em breve traremos novos artigos sobre o mundo dos Bitcoins. Até breve!

 

admin

Read Previous

Roteiros românticos: Conheça 5 opções para visitar a dois

Read Next

Como mudar sua carreira

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *